HISTÓRIA DO ANIMAL PRINT


É hora de soltar as feras! O animal print é um clássico e que está sempre dando as caras nas passarelas e nas ruas. E claro, sempre presente no guarda-roupa da maioria das mulheres e, se ainda não de todas, é por pouco tempo... A onça, principalmente, continua sendo o hit entre as feras!!

A estampa de onça se mantém a preferida entre as mulheres que investem em padronagem animal, talvez por ser a mais agressiva entre as feras... Com pegada sexy , mas já se tornou um clássico, e vai bem com o nude e o preto. Pode acompanhar desde os looks mais casuais como os mais elaborados e sedutores. Vai com você para o trabalho com um jeans ou a uma festa requintada com um vestido.

O Animal Print é uma tendência que se repete em todas as coleções há muitos anos. Sua versatilidade é fantástica e vale a pena investir em uma (ou diversas!) peças nessa padronagem, mantendo seu guarda-roupas atual e lindíssimo. E, claro, o Animal Print é super democrático, ficando muito bem em todos os biotipos! Não tenha medo de usar!

Entretanto muitas mulheres comentam que  é preciso muita ousadia e coragem para o uso da estampa. Sempre precisa tomar cuidado na maneira de usar e também nem sempre é fácil ouvir alguns comentários inesperados à respeito da mesma. “Às vezes é um desafio” é uma frase que escuto de algumas clientes aqui na loja, diz Adilce Moreira. “Insisto naquilo que é muito natural em todas as mulheres como a sua feminilidade, a sua sensualidade e a sua liberdade de comportamento enquanto elas provam”, completa Adilce. Na Maranata  todas as peças com estampas de animal print são ecologicamente corretas, ou seja, desenvolvidas em laboratório.

Falando sobre o assunto eis que este post vem a calhar...pois irá falar um pouco, não sobre formas de usar animal print (como você quiser) nem sobre os tipos de corpo que podem usar animal print (o seu), mas um post de pesquisa.

QUANDO SERÁ QUE PASSAMOS A ACHAR LEGAL USAR ESTAMPAS QUE IMITAM OUTROS ANIMAIS?

animal-print-história-2

O uso da pele de animais selvagens é tão antigo quanto nossa própria história. Usávamos pele para nos proteger desde os primórdios da humanidade, por conta disso, alguns psicólogos defendem a ideia de que a fascinação pelas imagens de animais está em nosso DNA.

Na civilização antiga, usar pele de animal era símbolo de status e poder, usada por reis, nobres e figuras religiosas. As estampas de animais, assim como suas peles, começaram a ter seu status fashion no século 18, por remeterem ao universo exótico da África, e seus animais selvagens, e viraram sinônimo de ousadia e luxo.

Até então, as estampas de animais estavam presentes no vestuário através do uso de peles, aos poucos as pessoas foram valorizando mais as formas e padronagem dos pelos dos animais do que sua pele em si. Foi o começo do “animal print”.

animal-print-história

Historicamente, pode-se dizer que o filme Tarzan, dos anos 30, foi um marco inicial e ajudou a promover no mundo da moda as estampas de inspiração africana. Um dos exemplos disso é o vestido criado em 1936 pela casa francesa Busvine, feito com estampa de leopardo.

Na mesma época, a estilista francesa Jeanne Paquin usou peles de leopardo em suas coleções. Já na década de 40 Christian Dior foi o primeiro a usar a estampa de onça, e não a pele, em um vestido apropriadamente chamado África, para sua coleção primavera-verão. Por causa dele também o animal print ganhou forma em acessórios, bolsas e sapatos.

Mas foi da estilista Elsa Schiaparelli um dos hits da época, o chapéu de leopardo.

animal-print-rock-stars

O cinema dos anos 50 e 60 ajudaram a transformar as estampas de animais em símbolos de elegância e sofisticação e assim, continuou pelos anos 70. Nos anos 80, época do exagero e que muita gente considera de gosto duvidoso, o animal print foi usado e abusado e pela primeira vez em algum tempo com uma novidade: usando somente a padronagem do animal mas com cores como pink e verde limão. Esse exagero de animal print dos anos 80 (exemplo: glam rock) fez com que na década de 90 a estampa de bicho fosse associada a roupas vulgares e de baixa qualidade, coisa que talvez só a Versace podia ousar a fazer.

Mas nos anos 00’s tudo mudou. Tudo é válido, tudo pode. Até então, somente os animais exóticos tinham vez. Mas agora  outros animais se misturam as estampas de onça, zebra e cobra, como por exemplo as  vacas.

Fato é:  O animal print deve estar no nosso DNA mesmo. Já foi tendência, atemporal, clássico, cafona, chique e estão por toda parte.

Fonte: GWS e Talento Moda