FASHION WEEK E SUAS NOVIDADES – AGOSTO 2017


E foi dada a largada para mais uma edição do SPFW! Nesse último domingo, 27, teve início o SPFW N44, que além dos tradicionais desfiles, ainda conta com a apresentação de projetos como o Top 5 e o Circles, parceria entre a estilista Vanessa Moe e a Swarovski. O evento, o mais importante da moda brasileira, apresentou nesse primeiro dia a coleção da Iódice, que comemorou os 30 anos da existência da marca.

DIA 01

IÓDICE

Confira a seguir os destaques!IódiceA coleção de verão 2017/18 da Iódice trouxe como tema o Tropical Art, combinando referências orgânicas e gráficas para a criação de silhuetas fluidas, longilíneas e leves. Entre as peças, vestidos mídis, conjuntos e jaquetas chamaram a atenção pelas ornamentações, como franjas, recortes e transpasses, evidenciando assimetrias. Seda, crepe e vinil ganharam expressividade entre os materiais, contando com uma cartela de cores amplas, destacando tons de mostarda, marrom, azul, bege, off white. Como complemento, atente para as bolsas em macramê, sandálias com apliques metálicos e botas de cano alto. Nos acessórios, óculos desenvolvidos em parceria com a Chilli Beans finalizaram as produções. 

DIA 02

Dando continuidade ao SPFW, o segundo dia de desfiles movimentou a capital paulistana. Contando com apresentações dentro e fora da Fundação Bienal, no Parque Ibirapuera, 8 marcas trouxeram suas apostas para o verão 2017/18, envolvendo segmentos como vestuário, moda praia e moda festa. Além disso, algumas parcerias, principalmente voltadas para calçados e acessórios, tiveram sua estreia no evento.

RAQUEL DAVIDOWICZ - UMA

O verão 2017/18 da Uma de Raquel Davidowicz teve como inspiração central a obra do artista americano Cy Twombly, conhecido por seu visual abstrato e descompromissado. Assim, a coleção da marca trabalhou com silhuetas leves e fluidas, contrastando com volumes sutis. Entre as peças, o conforto foi pontuado em vestidos, tops, camisas, jaquetas, saias e blazeres, ressaltando elementos como assimetrias, drapeados, sobreposições de materiais e transpasses. Atente ainda para estampas de rabiscos manuais, trazendo a essência do trabalho do artista para as superfícies. Como complemento, sandálias variadas chamaram atenção, assim como pulseiras e meias com transparência.

PAULA RAIA

A Flagcx, na Vila Madalena, foi o local escolhido por Paula Raia para a apresentação de sua coleção. Com um clima de tranquilidade, a mostra foi além das roupas, criando uma experiência para os presentes, que eram convidados a um ambiente com sons da natureza e só poderiam entrar utilizando uma bata rosa de linho. Trabalhando tons de rose e nudes, a coleção manteve a essência da estilista, valorizando modelagens soltas ao corpo e com volumes expressivos em saias e mangas. Vestidos longos e mídis foram as principais peças, trabalhados em materiais leves e com transparências. Além disso, nas superfícies, texturas, babados amplos e recortes serviram como ornamentação para os produtos. Sapatos como oxfords e abotinados reforçaram a ideia de conforto da brand.

OSKLEN

Como falamos em notícia anteriormente, a coleção de verão 2017/18 da Osklen teve como inspiração a vida e a obra de Tarsila do Amaral, uma das grandes representantes da arte brasileira. Pensando em seu legado, Oskar Metsavaht e sua equipe deram origem a uma coleção que contou uma história. Começando pela tela crua com os esboços da artista em lápis, passando por um bloco monocromático inspirado no autorretrato Manteau Rouge, e culminando uma série de peças estampadas por obras da artista, como Abaporu e Brasileiros. Atente para o uso de materiais como linho, algodão e seda em vestidos, camisas, calças amplas, tops cropped e blusas leves, além de conjuntos em alfaiataria, trazendo um tom elegante para o desfile.

DIA 03

Outras oito marcas desfilaram no dia 29, no SPFW N44, entre elas, nomes como Pat Bo, LAB, Vitorino Campos e Giuliana Romanno. O dia foi marcado por coleções com inspirações diversas, envolvendo desde a obra de artistas consagrados, até praias paradisíacas e referências de culturas, vindas de povos como os aborígenes e os ciganos.

GIULIANA ROMANNO

A galeria Nara Roesler foi o ambiente escolhido para o desfile de verão 2017/18 da Giuliana Romanno. Assim como Uma Raquel Davidowicz e Paula Raia durante os desfiles de ontem, a coleção da estilista teve a leveza e a fluidez como pontos altos das peças. Trabalhando modelagens soltas e elegantes, pontuadas por uma cartela de cores clara, a apresentação destacou vestidos de jacquard de seda, conjuntos de alfaiataria despojados, blusas elaboradas e calças pantalonas. Como detalhamento, cortes assimétrico, transpasses e fendas chamaram a atenção. Um leve toque de rusticidade esteve presente através dos acessórios em palha, como a maxi bolsa desenvolvida em parceria com as bordadeiras da ONG Casa do Rio Tupana.

VITORINO CAMPOS

Inspirado no álbum Araçá Azul, de Caetano Veloso, em que cada faixa foi produzida de uma forma, sem uma linguagem musical definida, Vitorino Campos decidiu renovar tanto na forma de mostrar a coleção quanto no acesso do público a essas peças. Em apresentação na loja Pair, a coleção estava à venda durante o evento, e as modelagens, disponíveis para download no site da marca, deixando espaço para que cada um interprete o produto a seu gosto. Contando com uma cartela de cores exclusivamente branca, jaquetas, costumes, vestidos em diferentes comprimentos, T-shirts e bermudas foram desenvolvidas em algodão, sarja, seda e crepe. Evidenciando modelagens amplas e volumes pontuais, a marca entregou uma coleção de aspecto jovial e comercial. 

LENNY NIEMEYER

Homenageando a força feminina, o verão 2017/18 de Lenny Niemeyer foi inspirado no misticismo. Fazendo referência ao trabalho das artistas plásticas Hilma Af Kunt e Emma Kunz, grandes representantes do abstracionismo geométrico, o estilista destacou o trabalho com linhas, esferas e triângulos em sua coleção. Desse modo, peças como vestidos esvoaçantes em seda, blusas e blazeres trouxeram um toque futurista, pontuadas por modelagens elaboradas e recortes geométricos. Enquanto isso, na moda praia, a estamparia chamou a atenção pelo trabalho com listras contrastantes e blocos de cor. Destaque para a ampla gama de tons, combinando cores quentes e frias, como laranja, azul, off white, verde, mostarda e preto. Complementando a coleção estavam as botas nude, desenvolvidas em parceira com a Santa Lolla. 

VANESSA MOE

Vanessa MoeA brasiliense Vanessa Moe, que reside em Sydney desde 2002, é um dos destaques dessa edição do SPFW, como falamos anteriormente. A estilista, que participa do evento através do projeto Circles, apoiado pela Swarovski, propôs um tema de cunho social em sua coleção. Dando visibilidade aos povos aborígenes da Austrália, o desfile contou com modelos nativos exibindo as peças, representando uma minoria que luta pela preservação de sua cultura. Com um forte apelo artístico, as peças trouxeram um ar conceitual para a passarela. Em sua maioria vestidos, destacaram o uso de transparências e barras volumosas, além de superfícies com texturas e desenhos representando a tribo. Na cartela de materiais, acetinados e tules ganharam importância, assim como o uso de penas e plumas, que possuem um relação com rituais e com a mitologia dos aborígenes. 

PATRÍCIA BONALDI

Em seu verão 2017/18, a estilista Patricia Bonaldi convidou o público a uma viagem ao passado, pontuado por um clima praiano e tropical. Colorida, vibrante e descontraída, a coleção da marca trouxe modelagens bastante femininas, dando destaque para os cortes evasês e cintura marcada em saias e vestidos, enquanto casacos, jaquetas e suéteres apareceram em cortes soltos e confortáveis. Entre os materiais, laise, organza, denim e crepre despontaram com estampas variadas, como florais, listras e animais. Observe também o uso de bordados e babados como forma de ornamentação, realçando mais ainda a inspiração retrô e feminina. Como complemento, chapéus coloridos, óculos, rasteiras, brincos amplos, sombrinhas e clutches ajudaram a compor os looks, fruto de parcerias com marcas como Tula Casqueteria, Manolita e Black Sun. 

TWO DENIM

Com uma pegada latina, diretamente das culturas flamenca e cigana, a Two Denim propôs uma renovação para o jeanswear no verão 2017/18. Modelagens amplas e pesadas foram destaque em peças como jaquetas, coletes e calças, enquanto propostas mais femininas, como saias e vestidos, ganharam aplicações de babados e cortes assimétricos. Em predominância estavam as lavagens claras e com efeitos manchados, porém propostas em tons coloridos, como rosa, também tiveram espaço. Compondo a coleção, peças em tricoline de algodão também foram trabalhadas, como blusas assimétricas e vestidos volumosos, trazendo um ponto de neutralidade para a coleção através do branco. As inspirações também estavam presentes através de amarrações e volumes, enquanto acabamentos desfiados ressaltam a essência urbana da marca. 

LAB 

Uma das grandes revelações das últimas edições do evento, trouxe a coleção Avuá para a SPFWN44. Pensando em elementos como a liberdade de voar, alcançar novas possibilidade, e da simbologia dos pássaros e penas, que estão relacionadas com o canto e a escrita, os irmãos Emicida e Evandro desenvolveram uma coleção baseada em leveza, porém sem deixar suas influências street e hip hop de lado. Sendo assim, peças como T-shirts, bermudas, vestidos, saias e jaquetas foram trabalhados em materiais como nylon, malhas e moletons, evidenciando modelagens oversized. Na cartela de cores, tons de azul predominaram, e  nas superfícies, prints localizados com o nome da marca, ou ainda com desenhos de pássaros e aviões de papel, reforçaram a inspiração. É importante destacar que o posicionamento valorizando a diversidade segue forte na marca, que trouxe para a passarela modelos homens, mulheres, plus size e com as mais variadas etnias. 

ÁGUA DE COCO

Ilha de Bali, Indonésia. Essa foi a inspiração para a coleção de verão 2017/18 da Água de Coco. O lugar, pontuado por sua vegetações, suas flores e seu artesanato, foi retratado nos shapes, estampas e acabamentos. A leveza de musselines, sedas e macramês chamaram a atenção tanto na moda praia quanto no vestuário, através de blusas, vestidos fluidos, saias longas e tops cropped. Na estamparia, técnicas de pintura a mão e fotografia digital resultaram em prints marcantes, tanto de elementos da paisagem local, como arrozais, quanto da arte, através de pinturas dos museus de Ubud. A cartela de cores ampla ressaltou os tons de verde e alaranjados, enquanto os terrosos foram destaque em calçados e acessórios, como brincos e chapéus.

DIA 04

O quarto dia de SPFW trouxe nove coleções em seu calendário, que ainda contou com os desfiles do Projeto Top 5. Entre elas, Animale, Gloria Coelho, Lino Villaventura e Amir Slama trouxeram suas propostas para o verão 2017/18, seja através da passarela ou de mostras em locais selecionados. Além disso, a apresentação da Jahnkoy, pela primeira vez no evento, também foi destaque no dia.

VITORINO CAMPOS

Contando uma história inspirada em sua viagem ao Vietnã, Vitorino Campos inovou ao apresentar a coleção da Animale em forma de instalação, misturando suas criações à peças vintage garimpadas na viagem. Na entrada, diversas celebridades como Juliana Paes e Grazi Massafera, foram convidadas a utilizar as peças, que trouxeram um visual sofisticado e moderno. Modelagens assimétricas e comprimentos encurtados deram o tom para calças, camisas e jaquetas. Um toque de romantismo surgiu através das superfícies com texturas ou adornadas por estampas florais em desenhos variados, enquanto a cartela de materiais destacou acetinados, musselines e sarjas. Botas com salto de madeira complementaram a coleção.

GLÓRIA COELHO

Com a palavra engajar em mente, Gloria Coelho trouxe uma nova abordagem em seu casting ao misturar modelos e mulheres reais no seu desfile. Alinne Moraes, Marina Lima e Maythe Birman foram algumas das convidadas, reforçando a proposta de inclusão e poder feminino nas passarelas. Com referências na monarquia inglesa e na cultura do Reino Unido, a estilista trouxe duas propostas de estilo na coleção. Primeiramente um visual forte e com toques utilitários, que destacou modelagens geométricas e elaboradas, contando com sobreposições, transpasses e recortes em conjuntos, capas, coletes, vestidos e casacos alongados. Com mais leveza e feminilidade, a segunda parte do desfile abriu espaço para materiais como organzas e crepes, dando origem a vestidos evasês e conjuntos com recortes, evidenciando transparências sutis. 

RONALDO FRAGA

O cenário praiano foi a inspiração do verão 2017/18 de Ronaldo Fraga, com direito a apresentação ao ar livre e convidados sentados em cadeiras de praia. Com um forte referência no swimwear da década de 1920, o estilista apostou em modelagens conservadoras e com forte essência retrô, presente através dos bodysuits masculinos e femininos, biquínis, saias e bermudas. Detalhes como transpasses e recortes vazados foram percebidos em diversas peças. Do mesmo modo, a ornamentação através da estamparia chamou a atenção, ressaltando elementos como listras, desenhos localizados e técnicas de trompe l'oeil, simulando corsets e corselets. Atente ainda para a cartela de cores, basicamente composta por tons de rosa, azul-marinho e amarelo, bem como os acessórios, como óculos amplos e chapéus. 

COTTON PROJECT

A marca, que na última edição trabalhou a ideia de relaxamento em sua coleção, agora destaca o oposto: ansiedade e angustia no meio urbano. Para isso, a Cotton Project buscou referências tanto da tranquilidade de idosos, menos adeptos a cultura da internet, quanto dos jovens, que saturados, procuram a cura para ansiedade através de temas como astrologia e misticismo. Na prática, os produtos ressaltaram o conforto e jovialidade característicos da marca, através de camisas, T-shirts, costumes, suéteres, calças de sarja e conjuntos, dentro de uma composição de cores intensa e vibrante. Veludos, acetinados, algodão e malhas retilíneas foram alguns dos materiais trabalhados, enquanto nas superfícies, estampas com manchas de tintas, listras e prints localizados, com frases como Anxiety Free chamaram a atenção.

JAHNKOY

A mistura entre o cenário esportivo e referências culturais marcou a passagem da Jahnkoy por essa edição do SPFW. Combinando espiritualidade, esportividade e reaproveitamento de materiais, a marca de Maria Kazakova, em parceria com a Puma, chamou atenção pelo visual carregado. Conjuntos esportivos, moletons, jaquetas, calças amplas e T-shirts foram renovados a partir de trabalhos artesanais, como bordados manuais, aplicações, franjas e tramas. Os contrastes de cores, sobreposições de peças e letterings, sejam através de estampas ou bordados, enriqueceram ainda mais o trabalho da estilista, que finalizou as produções com chapéus, pochetes e tênis esportivos. 

AMIR SLAMA

Anos 1950, vedetes brasileiras e pin ups: essas foram as referências da coleção de verão 2017/18 de Amir Slama. Com sensualidade e irreverência, a marca trouxe as modelagens em destaque, principalmente na moda praia, realçando bottoms com recortes e tops com decote coração, com ou sem alças. Maiôs foram trabalhados em diferentes variações, enquanto vestidos esvoaçantes foram pontuados por decotes ou fendas profundas. Para os homens, sungas, camisas e capas chamaram a atenção, sempre ressaltando uma leveza no visual através dos materiais acetinados. Como forma de decoração, atente para os drapeados, nervuras e amarrações, fazendo da manipulação das matérias-primas um dos pontos altos da coleção.

LINO VILLAVENTURA

Combinando moda e arte, a passarela de Lino Villaventura trouxe um apelo conceitual para o SPFW. Para o público feminino, vestidos foram a principal escolha, explorando modelagens assimétricas, volumes localizados, recortes vazados, drapeados, nervuras, bordados e efeitos de transparência, em peças elaboradas e irreverentes. Destaque ainda para a cartela de materiais, que abrangeu organzas, jacquards, acetinados, sedas e tules. Já nas peças masculinas, um visual mais despojado foi ser percebido, representado por produtos como regatas em algodão, bermudas de sarja e blazeres desconstruídos. Aqui, a ornamentação surgiu de modo mais contido, ressaltando costuras contrastantes, superfícies amassadas e estampas.

TIG

Intitulada "Ela é Carioca", a coleção da TIG foi uma homenagem ao Rio de Janeiro. Com foco na mulher moderna e arrojada, a marca trouxe para a passarela apostas para as mais variadas ocasiões. T-shirts, shorts, bombers e suéteres foram destaque entre as propostas casuais, enquanto saias evasês, macacões e vestidos elaborados chamaram a atenção entre os produtos mais arrojados. Atente para o forte trabalho de estamparia, dando destaque para propostas geométricas, paisleys, animal print, e principalmente referências da cidade inspiração, como a praia de Copacabana, o Pão de Açúcar, as palmeiras e o calçadão. Na cartela de cores preto, branco, verde, laranja, roxo, azul e nudes predominaram, enquanto botas de cano alto, sandálias de tiras finas e mochilas estampadas arremataram a coleção. 

Fonte: Textil e Industry